Foto: Divulgação/TBT

A deputada Tabata Amaral (PSB-SP) foi condenada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) a pagar R$ 5 mil de custas ao advogado de um homem a ameaçou no Instagram. O usuário da rede social afirmou numa mensagem usaria um “taco de baseball na cara” dela até que a mãe da parlamentar não a reconhecesse.

“Temos que dar a ela o tratamento de beleza mais efetivo do mundo: o taco de baseball na cara. Tão eficiente que nem a mãe dela vai reconhecer depois”, escreveu o homem, em abril de 2021. Em outra mensagem, ele afirmou: “Cara, não adianta, ela não vai dar para você, o sugar daddy dela é o Lemann”, se referindo ao empresário Jorge Paulo Lemann, da Fundação Estudar, onde a parlamentar foi bolsista.

Depois disso, a parlamentar apresentou uma queixa-crime contra ele. Tanto em primeira quanto em segunda instância os juízes e desembargadores alegaram que o post não configura crime por “ausência de indícios de autoria e ausência de justa causa”. A parlamentar então recorreu ao STF. O pedido foi analisado por Rosa Weber, presidente da corte, que entendeu que os fatos e as provas dos autos não poderiam ser analisados em recurso extraordinário e manteve a decisão da Justiça de São Paulo.

Nas redes sociais, Tabata Amaral lamentou o desfecho. “Vencem o ódio, o machismo e a impunidade, perdemos todas as mulheres”, escreveu a parlamentar.

O Antagonista