Pessoas próximas a Lula relataram que o presidente tem demonstrado tristeza e ansiedade, informou o jornal Folha de S.Paulo, nesta segunda-feira, 15. O estado emocional do petista fica alterado quando percebe que não consegue fazer valer a sua vontade, como no passado.

Cinco meses depois de assumir o terceiro mandato, Lula sofreu uma série de derrotas no Parlamento. Ele também não consegue mandar o Banco Central baixar os juros, em virtude da independência da autoridade monetária. Diversas outras iniciativas que teve, inclusive no plano internacional, não vingaram. Tampouco a escolha de Cristiano Zanin, um de seus advogados, para uma cadeira no Supremo Tribunal Federal está sendo difícil. Isso porque até aliados de primeira ordem no Palácio do Planalto se opõem à nomeação de Zanin.

Segundo a Folha, Lula se sente uma pessoa que vive em um paradoxo: elegeu-se com ambições maiores do que as que tinha em eleições anteriores. Desta vez, contudo, não está tão disposto a ceder como as que teve que fazer anteriormente para governar. Para complicar, a vitória apertada sobre o ex-presidente Jair Bolsonaro não deu capital político suficiente para o petista.

RP