26/05/2023 19h07
Foto: Sergio Lima/Poder 360

As contas externas do Brasil registraram deficit de 1,7 bilhão de dólares em abril, divulgou nesta sexta-feira (26) o BC (Banco Central). A autoridade monetária calcula mensalmente as transações correntes do Brasil, considerando o saldo da balança comercial (exportações e importações), os serviços adquiridos por brasileiros no exterior e por rendas, como remessas de juros, lucros e dividendos para outros países.

O país não tinha deficit, em abril de um ano, desde 2019. No mesmo mês do ano passado, teve superavit próximo de US$ 100 milhões.



Segundo o Banco Central, o deficit na renda primária aumentou US$ 1,6 bilhão em comparação com abril de 2022. O resultado da renda secundária reduziu US$ 361 milhões. Na balança comercial, houve ligeiro aumento do superavit.



O deficit em transações correntes de 12 meses, encerrados em abril de 2023, somou US$ 54,2 bilhões, o que equivale a 2,76% do PIB (Produto Interno Bruto). Em março de 2023, o saldo negativo era de US$ 52,4 bilhões (2,67% do PIB).

INVESTIMENTO DIRETO NO PAÍS

Apesar do deficit nas contas externas, o IDP (Investimento Direto no País) somou US$ 3,3 bilhões líquidos (entrada e saída de recursos) em abril. Ou seja, superou o saldo negativo no mês.

O IDP somado em abril foi o menor para o mês desde 2020. Caiu 70% em relação a abril de 2022, quando somou US$ 11,1 bilhões.




O investimento direto acumulado em 12 meses totalizou US$ 82 bilhões (4,17% do PIB) em abril de 2023, ante US$89,7 bilhões (4,57% do PIB) no mês anterior.

Poder 360