A Petrobras pediu nessa quarta-feira (22.jun.2022) ao ministro André Mendonça, do STF (Supremo Tribunal Federal), mais tempo para explicar quais os critérios usados pela empresa para reajustar o preço dos combustíveis.Na sexta (17.jun.2022), Mendonça deu 5 dias para a Petrobras prestar “minuciosas informações” sobre o aumento do diesel e da gasolina e sobre a política de preços dos últimos 60 meses. O prazo acabava na 6ª (24.jun). A Petrobras pediu mais 5 dias úteis.

Segundo a estatal, o volume de informações exigidas impede o cumprimento do prazo.

“À luz do grande volume de dados a serem analisados para apuração das informações e documentação requisitados, assim como atenta à inexorável qualidade dos dados a serem explicitados para bem contribuir com a prestação jurisdicional a Petrobras vem, com todas as vênias, apresentar o pedido de dilação do prazo originalmente fixado para cumprimento das determinações”, diz a solicitação.

Poder360