João Brigatti estava no Sampaio Corrêa — Foto: Ronald Felipe / SCFC

O América-RN fechou o domingo com novo treinador. João Brigatti foi anunciado como substituto de Edson Vieira, dispensado antes mesmo da estreia oficial após polêmica sobre a vacina contra a Covid-19.Brigatti, 58 anos, tem chegada prevista a Natal para terça-feira e o primeiro compromisso será o duelo contra o Retrô, na Arena das Dunas.

Seu último trabalho foi no Sampaio Corrêa, do qual foi demitido no dia 20 de março. Na segunda passagem pela Bolívia Querida, foram 20 jogos e 10 vitórias entre o fim do ano passado e a atual temporada – incluindo a conquista do título do primeiro turno do Campeonato Maranhense.

A saída foi provocada pelas eliminações precoces na Copa do Brasil – diante da Portuguesa-RJ – e na Copa do Nordeste.

Brigatti também treinou Ponte Preta, Paysandu e Santa Cruz.

Saída de Edson Vieira

O América-RN havia oficializado na tarde deste domingo a saída do técnico Edson Vieira. Como tomou a primeira dose da vacina apenas neste sábado, em Natal, o treinador de 56 anos só poderia comandar a equipe à beira do gramado daqui a 14 dias, de acordo com Guia Médico da CBF.

Edson Vieira foi apresentado oficialmente pelo América na última quinta-feira, e comandou o primeiro treinamento no dia seguinte. Sai de cena sem estrear oficialmente.

Ele não foi regularizado na CBF por não apresentar o certificado de vacinação contra Covid e, com isso, não dirigiu a equipe diante do Afogados, no sábado. O Alvirrubro acabou derrotado por 1 a 0 na Arena das Dunas, em Natal. O auxiliar Leandro Sena comandou o time em campo, sob orientação de Edson.

Edson não havia tomado a vacina por alegar “problema familiar com trombose, problema de coração, de infarto, hereditário” e afirmou que fez “87 testes de Covid, e não pegou Covid”. Ele concedeu entrevista coletiva após a derrota para o Afogados e tentou se justificar.

– Acho que é uma decisão de um brasileiro, eu vivo em um país democrático. Em nenhum momento ninguém colocou uma arma na minha cabeça e disseram que é obrigado a se vacinar. Não queria nem entrar nesse mérito, porque não é futebol. Eu quero que você faça pergunta de futebol. Se eu tomei a vacina ou não, se ‘Zezinho’ tomou ou não, é direito de cada um – falou.

Globo Esporte/América RN