Foto: Julio Pinheiro

A frente fria que está causando a diminuição das temperaturas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país pode ter impactos na formação das chuvas e, consequentemente, na temperatura no Rio Grande do Norte, segundo o chefe da unidade de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), Gilmar Bistrot.De acordo com Gilmar, mesmo a frente fria “chegando fraca, ela pode causar instabilidades atmosférica até 1000 km na sua frente”. Ou seja, as próximas chuvas entre domingo, segunda e terça, podem ocasionar uma diminuição na temperatura no Rio Grande do Norte e nas cidades do interior do Estado, principalmente nas regiões de Serras.

Ainda segundo o chefe da Emparn, as temperaturas nas cidades serranas do RN podem ter mínimas chegando de 8 a 19 graus Celsius. Já na capital potiguar, a média continuarásendo de 20°C e 21°C, com dias nublados até o mês de julho.

A Frente Fria é uma massa de ar que se desloca do Polo sul em direção à linha do equador provocando uma diminuição dos termômetros nas regiões sul, sudeste e Centro-Oeste. Neste ano, o deslocamento de uma massa de ar polar muito forte que vai coincidir com a passagem de um ciclone extratropical.

Algumas capitais brasileiras dessa região estão com os termômetros marcando a temperatura próxima de zero, como Curitiba-PR e Campo Grande-MS e, em alguns casos, abaixo de zero como em Bom Jardim da Serra – SC.

Como o Nordeste está na faixa tropical, e o Rio Grande do Norte, específicamente, na faixa equatorial, é dominado pelo calor e temperaturas altas. Por conta disso, as massas de ar, normalmente, têm poucas variações de temperatura.

Tribuna do Norte