A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – Unesco reconheceu, na manhã de hoje (13), o Geoparque Seridó como um território de relevância geológica internacional. A partir desta quarta-feira (13), esse território rico nos aspectos geológicos, biológicos, culturais e históricos do povo seridoense passa a fazer parte oficialmente do Programa Internacional de Geociências e Geoparques da UNESCO.

O resultado positivo coloca o Geoparque Seridó na seleta lista de Geoparques Mundiais da Unesco, que passa a contar com 177 geoparques em 46 países de todo o mundo, além de incluí-lo também na Rede de Geoparques Mundiais. Para o Prof. Marcos Nascimento do Departamento de Geologia da UFRN e Coordenador Científico do Geoparque Seridó a chancela da UNESCO é fruto de um trabalho coletivo. “Reconhecimento não somente por todas as atividades que foram realizadas nesses últimos 12 anos, mas também comprova que essa parte do Rio Grande do Norte tem um patrimônio geológico de relevância internacional, aliado a particularidades do restante do patrimônio natural e do patrimônio cultural, assim se tornando um lugar único no mundo. Essa visibilidade internacional favorecerá um maior desenvolvimento territorial por meio de práticas turísticas sustentáveis, aliadas a melhorias na educação e na conservação desses patrimônios únicos.”

A área do geoparque Seridó abrange área de 2.800 quilômetros quadrados e seis municípios com recursos naturais e construções humanas importantes: Cerro Corá (RN) – nascente do Rio Potengi, Carnaúba dos Dantas (RN) – Monte do Galo, Acari (RN) e Parelhas (RN) – açudes Gargalheiras e Boqueirão respectivamente, Currais Novos (RN) – Cânion dos Apertados e Mina Brejuí, e Lagoa Nova – Tanque dos Poscianos.