Foto: Reprodução

A situação do ex-presidente, Lula, pode ficar mais delicada judicialmente nos Estados Unidos. Isso porque o Departamento de Justiça dos EUA e o FBI estão oferecendo recompensa de até US$ 5 milhões (cerca de R$ 24 milhões) a quem fornecer informações que levem à identificação de destinatários de propinas da Odebrecht e da Braskem. Lula é um dos envolvidos nesses escândalos.A situação constrange o petista, que pretende se candidatar à Presidência em 2022. Ainda não houve pronunciamento de Lula sobre isso, nem a explicação de como ele governaria com essa “restrição Internacional”.

A iniciativa faz parte do chamado “Programa de Recompensas de Recuperação de Ativos da Cleptocracia”, aprovado pelo Congresso com objetivo de promover o compromisso do governo americano no combate à corrupção de governos estrangeiros.

A meta do programa, administrado pelo Gabinete de Terrorismo e Inteligência Financeira do Departamento do Tesouro, é “identificar e recuperar ativos roubados, confiscar os lucros da corrupção e, quando apropriado e viável, devolver esses bens roubados ou valores ao país prejudicado pelos atos de corrupção”.

A recompensa será paga a quem fornecer informações que levem à retenção ou apreensão, confisco ou repatriação de ‘ativos roubados’, conforme definido na lei.

Com informações do Terra Brasil Notícias