Especialista afirmou que o parasita, que tinha 6 cm quando foi retirado, provavelmente havia sido ingerido há alguns meses

Um médico no Quênia surpreendeu as redes sociais depois de ter encontrado uma sanguessuga na garganta de uma criança de 3 anos que reclamava de tosse persistente. O americano Jason Brotherton, que mora e trabalha no país africano há seis anos, compartilhou um relato do caso e uma foto do parasita no Twitter em 22 de novembro e a história rapidamente viralizou.
“Antes do dia de hoje, me sentia bastante confiante em afirmar que já havia encontrado a maioria das causas de anemia em crianças até que isso foi retirado do esôfago superior de uma criança de 3 anos”, escreveu o médico. “Essa sanguessuga já estava se alimentando há um tempo."

Na imagem, o parasita aparece ao lado de uma régua, que mostra que ele tinha cerca de 6 centímetros. Em um segundo tweet, Brotherton deu mais detalhes sobre o caso: “Imagino que a sanguessuga foi ingerida há vários meses. Primeiro o paciente apresentou sangramento nasal, o que evoluiu para 3 meses de tosse. Ele finalmente tossiu com tanta força que a mãe percebeu que havia algo no fundo da garganta e o levou ao hospital. A sanguessuga precisou ser removida por endoscopia porque estava presa na parede do esôfago”.

Brotherton disse ainda que acredita que a sanguessuga foi ingerida acidentalmente pela criança enquanto ela tomava água contaminada. O parasita provavelmente era muito menor no momento da ingestão e cresceu com o tempo. Depois que a sanguessuga foi retirada, a criança passou por exames que mostraram que ela tinha anemia. “O ácido no estômago teria matado a sanguessuga, mas ela conseguiu sobreviver tanto tempo por ter ficado nas vias superiores. Pessoalmente, nunca tinha visto um caso como esse antes”, escreveu.

Fonte: Revista Crescer
Foto: Reprodução