Foto: Nelson Jr.

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou que o Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, informe quem teve contato com o ex-deputado Roberto Jefferson enquanto ele estava internado na unidade. Além de informar os procedimentos para autorizar e cadastrar visitas ao ex-parlamentar, o centro hospitalar deve repassar o nome de vigilantes que fizeram a segurança no local.Moraes atende a um pedido da Procuradoria-Geral da República relacionado à investigação sobre um vídeo gravado dentro do hospital. Nas imagens, Jefferson, mesmo preso, atacou o magistrado.

“Sejam poucos os seus dias, e outro tome o seu ofício. Sejam órfãos os seus filhos e viúva sua mulher”, disse o ex-deputado, em referência à morte do ministro.

No despacho, o magistrado determina ainda que a Polícia Federal informe como foi realizado o acompanhamento do custodiado durante a internação. Nesta semana, Moraes afastou Jefferson do comando do PTB por 180 dias.

R7