José Willams da Rocha, de 56 anos, morreu após ter atendimento negado no Hospital  Walfredo Gurgel — Foto: Reprodução

Um idoso morreu em Natal após gravar um vídeo dizendo que estava infartando e teve atendimento negado no pronto-socorro do Hospital Walfredo Gurgel. O caso aconteceu na última sexta-feira (5).

Após a repercussão do caso, o governo do estado determinou a abertura de uma investigação.

“Já falei com assistente social, falei com vigilante, falei com todo mundo, ninguém me atende. Mandaram eu procurar uma UPA”, diz o comerciante José Willams da Rocha, de 56 anos, no vídeo gravado na porta do pronto-socorro Clóvis Sarinho.

O idoso morreu minutos depois no Hospital dos Pescadores, onde teve duas paradas cardíacas.

De acordo com a família, antes de procurar o Hospital Walfredo Gurgel, o homem também teve atendimento negado no Hospital Municipal de Natal. O município foi procurado, mas ainda não se manifestou sobre o assunto.

Irmã de Willams, a técnica de enfermagem aposentada Maria Francineide Rocha da Silva, de 58 anos, conta que ele passou mal por volta das 14h40 da sexta-feira (5). Ele já tinha infartado há cerca de dois anos e, por isso, logo identificou os sintomas.

O homem chamou um primo que é taxista para levá-lo ao hospital. Segundo a família, primeiro eles procuraram o Hospital Municipal, que recomendou que o paciente procurasse o Hospital Walfredo Gurgel. O primo deixou ele no Walfredo Gurgel e foi embora, porém ele também teve atendimento negado no local.

A esposa de José Willams e um cunhado dele foram em um carro à sua procura e já o encontraram caminhando na rua. “Ele já vinha caminhando, agoniado, suando, sentindo muita dor”, conta a irmã.

A família levou o paciente até o Hospital dos Pescadores, mas ele não resistiu e morreu na unidade.

Vídeo no celular

A família só teve acesso ao vídeo gravado pelo José Willams durante o velório do comerciante, quando a esposa procurava fotos no celular dele.

“Foi quando se criou a revolta com o descaso. Como acontece isso com um ser humano na porta de um hospital?”, questiona Francineide.

O vídeo feito por José Williams foi publicado nas redes sociais e gerou repercussão no estado. Na noite de domingo (7),

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde afirmou que “foi aberta uma sindicância para que se faça uma apuração aprofundada dos fatos, a fim de que sejam tomadas as providências cabíveis”.

Willams deixa cinco filhos

José Willams tinha um comércio de material hidráulico e elétrico na rua João XXIII, no bairro Mãe Luiza, que assumiu após o falecimento do pai. A família mora na região há cerca de 50 anos. Ele deixa a esposa e cinco filhos com idades entre 6 e 33 anos de idade. Com informações do g1/RN.