Foto: Reprodução / TV Globo

Uma agente da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) foi presa neste domingo (28), suspeito de furar os pneus do carro e esfaquear o ex-namorado. O ataque ocorreu durante a madrugada na Asa Norte do Distrito Federal.Esta é a terceira vez que Rafaela Luciene Motta Ferreira, de 40 anos, é detida por crimes cometidos contra pessoas com quem ela se relacionava. Em agosto deste ano, ela foi presa por “stalking” (perseguição, em inglês), ao tentar impedir o depoimento de um outro ex-companheiro à corregedoria da Polícia Civil.

A Polícia Civil afirmou em nota que ela “responde por Processo Administrativo Disciplinar (PAD) na Comissão Permanente de Disciplina (CPD), a diversos procedimentos na Corregedoria Geral de Polícia (CGP) e está afastada das funções por licença médica”.

A corporação relatou também que no domingo a policial foi até a residência do ex-namorado e furou os pneus de seu carro, que estavam no estacionamento. Foi quando ele notou o que acontecia e foi tentar parar a policial.

Em seguida, ele teria derrubado Rafaela no chão, que revidou com duas facadas e uma mordida no peito. A vítima conseguiu conter a policial até a chegada da Polícia Militar.

Rafaela foi levada à 2ª Delegacia de Polícia, na Asa norte, onde assinou um termo circunstanciado de ocorrência e foi liberada. A policial alegou que foi agredida.

O Corpo de Bombeiros prestou socorro à vítima, que relatou às autoridades que já registrou “várias” ocorrências contra Rafaela. Agora, o caso é investigado como lesão corporal e dano.

Outros ataques

No dia 3 de agosto deste ano, Rafaela foi presa por invadir a Corregedoria da Polícia Civil e tentar impedir o depoimento de um ex-namorado. Ela também foi liberada após assinar um termo circunstanciado, mas três dias depois a Justiça determinou sua prisão preventiva. Ela eventualmente foi solta.

Em 2018, Rafaela foi acusada de perseguição por um ex-namorado depois de ligar, em um único dia, 98 vezes para ele.

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o casal se conheceu em um aplicativo de relacionamentos e saiu algumas vezes. Quando ele pediu para terminar, passou a ser ameaçado pela agente.

Em uma conversa telefônica que faz parte do processo, Rafaela disse ao ex-namorado que “ele não sabia com quem estava mexendo” e que ele estava “mexendo com fogo”. Ela também teria ameaçado os familiares do ex-namorado.

“Acho que você devia ter um pouquinho mais de precaução. Você tem família aqui, você tem pai idoso, tem mãe idosa, eles moram sozinhos. Você tem irmã, tem sobrinho, então para de ser idiota”, afirma na conversa a policial.

Rafaela também tem uma sentença em primeira instância de março de 2020 por coação no curso do processo, – quando se usa violência ou ameaça para favorecer interesse próprio ou alheio – contra o ex-namorado, de acordo com a Justiça.

Yahoo Notícias