Com Casa Verde e Amarela parado para o povo, programa deve liberar R$ 100 milhões em benefícios aos policiais, bombeiros, agentes penitenciários, peritos e guardas municipais

O governo Bolsonaro e a Caixa Econômica Federal, anunciaram na última segunda-feira, 13, uma nova linha de crédito para o financiamento de casas próprias com juros mais baixos do Programa Habite Seguro, feito exclusivamente para profissionais da segurança pública, como policiais e bombeiros. O objetivo do presidente é agradar sua base de apoio visando a reeleição em 2022.
Serão destinados 100 milhões de reais do Fundo Nacional de Segurança Pública a esses profissionais em forma de crédito para a compra da casa própria ainda neste ano, segundo informações passada pelo Ministério da Justiça. Os benefícios incluem desconto no valor de contratação do financiamento e no valor da entrada para obter o empréstimo.


Nenhuma dessas vantajosas condições será estendida para outros trabalhadores da iniciativa privada.


O programa foi lançado por meio de Medida Provisória e já foi publicado no Diário Oficial.


Segundo o Artigo 2º da MP, terão direito ao benefício os profissionais de segurança pública das seguintes categorias e condições:


I – Policiais integrantes da polícia federal, da polícia rodoviária federal, das polícias civis, das polícias penais e das polícias militares:


a) ativos;


b) inativos:


1. da reserva remunerada; e


2. reformados; e


c) aposentados;


II – bombeiros integrantes dos corpos de bombeiros militares:


a) ativos; e


b) inativos:


1. da reserva remunerada; e


2. reformados;


III – agentes penitenciários, peritos e papiloscopistas integrantes dos institutos oficiais de criminalística, de medicina legal e de identificação:


a) ativos;


b) inativos; e


c) aposentados; e


IV – Integrantes das guardas municipais, observado o disposto na Lei nº 13.022, de 8 de agosto de 2014, e no regulamento do Programa Habite Seguro.


Enquanto isso, o programa Casa Verde e Amarela, que substitui o programa Minha Casa Minha Vida criado nas gestões do PT, não decola e entrega menos moradias, além de ter a continuidade de obras que já estavam em andamento ameaçadas pela falta de recursos, apenas um ano depois de sua criação.


Com esse cenário, novas contratações para a construção de novas moradias ao público de baixa renda são um sonho ainda mais distante.


Fonte: Revista Forum
Foto: Alan Santos