Um adolescente de 15 anos precisou passar por uma cirurgia após enfiar um cabo USB no pênis. O caso ocorreu em Londres, no Reino Unido, e foi divulgado por um artigo científico publicado na revista “Urology Case Reports”.
O jovem, que não teve o nome revelado, relatou aos médicos que inseriu um cabo USB, utilizado para carregar aparelhos celulares, na uretra para medir o comprimento do pênis. Ao perceber que havia prendido o cabo no membro, ele tentou removê-lo manualmente, mas acabou piorando a situação e prendendo as duas pontas do objeto na uretra.



O adolescente foi com a família ao hospital mais próximo, mas tentativas manuais ou endoscópicas de remoção não foram eficientes porque havia um nó no cabo USB.

Ele foi então encaminhado ao University College Hospital London, onde há tratamento especializado e cirurgias urológicas. Os médicos precisaram realizar uma uretrostomia penoescrotal, onde é feito um corte entre a genitália e o ânus do paciente. O cabo foi cortado e retirado através de um meato uretral externo.

O adolescente recebeu alta no dia seguinte à cirurgia. Ele precisou usar cateteres suprapúbicos para drenar a urina por duas semanas. Segundo os médicos, o jovem não terá sequelas.

De acordo com o artigo científico publicado na Urology Case Reports, o jovem não apresentava problemas mentais, e casos assim são mais comuns do que se imagina. “A experimentação e a gratificação sexual são considerados as principais causas de corpos estranhos retidos na uretra e na bexiga de pacientes”, diz trecho do estudo.

Correio Braziliense