15/08/2021 15h51
Posse da atual legislatura da Câmara, em fevereiro de 2019 | Foto: Jorge William

Pelo menos 85 deputados “mudaram” de raça entre a autodeclaração feita ao TSE em 2018 e as informações dadas à Câmara. A maioria dos parlamentares cuja raça foi alterada entre os dois levantamentos passou de pardo para branco (43). Vinte e nove fizeram o caminho contrário.

Há três deputados que se declararam pretos ao TSE e brancos ao Parlamento: José Airton Cirilo (PT-CE), Leonardo Monteiro (PT-MG) e Hélio Costa (Republicanos-SC).

Com as trocas, a Câmara passou a ter dois indígenas, além de Joenia Wapichana (Rede-RR). Paulo Guedes (PT-MG) e Coronel Chrisóstomo (PSL-RO), que haviam se declarado pardos ao TSE, disseram posteriormente que são indígenas.

É difícil mapear os motivos das mudanças. O petista cearense, por exemplo, ao ser questionado, diz que não se considera nem um nem outro. Mas pardo. E jogou a culpa em sua assessoria pela mudança.

Fica a critério dos parlamentares informar ou não a raça à Câmara. Dos 578 deputados que passaram por ali nesta legislatura, 109 não o fizeram.

Lauro Jardim – O Globo