Foto: reprodução

A Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN – ACS-PM tem recebido há meses reclamações de policiais militares acerca de uma questão recorrente, que é a dificuldade para alimentação do efetivo de serviço.O primeiro ponto de destaque é o valor do vale-alimentação que é baixo e, somado a isto, o policial militar não tem a faculdade de escolher onde se alimentar, restringindo-se apenas aos locais que recebem o referido, que, as vezes, é distante da área de patrulhamento dos militares.

Outro problema relatado pelo efetivo é que os policiais só recebem o referente à duas refeições apenas, quantitativo que se mostra insuficiente, tendo em vista que o serviço é de 24h e, sendo assim, o policial militar acaba tento que arcar com os custos da alimentação complementar. Vale destacar que o Estado sequer oferece água para que os policiais possam se hidratar durante o serviço.

Os problemas não acabam por ai! Além dos já supracitados problemas, esses vales não têm chegado ao interior do Estado, fazendo com que os policiais que atuam nessas áreas fiquem reféns das prefeituras, o que acarreta diversos problemas, pois caso a polícia militar trabalhe em desacordo com os interesses políticos locais, corre o risco da alimentação ser cortada.

As entidades representativas de praças já reivindicam essa questão da alimentação, dentre outras pautas, há cerca de dois anos, inclusive com protocolo de ofício ao Gabinete Civil do Estado. Em reuniões cobramos a implementação de um “cartão-alimentação” com valores compatíveis com as refeições suficientes ao serviço, a exemplo do que ocorre com outras categorias ligadas à Segurança Pública, o que facilitaria o acesso ao benefício para todos os policiais militares e traria mais dignidade a estes profissionais.

Infelizmente, mesmo diante da cobrança das entidades em tratativas com o Governo, a situação continua inalterada, fazendo com que os policiais militares de serviço continuem tendo dificuldades na hora de fazer suas refeições, demonstrando um tratamento diferenciado dado pelo governo entre os policiais militares e demais servidores da segurança pública. BG