Um incêndio destruiu parte do prédio da Secretaria de Segurança Pública do RS, na noite desta quarta-feira (14), em Porto Alegre. Dois bombeiros que trabalhavam no combate às chamas estão desaparecidos.Não há feridos, informou o governo estadual. As buscas pelos bombeiros desaparecidos começaram pouco depois das 7h10 desta quinta-feira (15). O nome deles não foi divulgado, mas trata-se de um sargento e um primeiro-tenente.

Estruturas do edifício desabaram, e na manhã desta quinta, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do estado, coronel César Eduardo Bonfanti, afirmou que há riscos de novos desabamentos.

O G1 questionou a Secretaria de Segurança Pública sobre serviços afetados pelo incêndio. Segundo a assessoria de comunicação da pasta, a princípio não houve prejuízos.

“Ainda estamos levantando tudo. Assim que possível informaremos. Mas em princípio, não houve qualquer prejuízo”, informou.

O vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior, afirma que o prédio foi completamente esvaziado: “A preservação do que é fundamental, que é a vida humana, está garantida. Foi evacuado o prédio”.

O Plano de Prevenção contra Incêndios (PPCI) estava em dia, segundo os Bombeiros.

O Corpo de Bombeiros da Brigada Militar trabalhou toda madrugada desta quinta-feira (15) no combate às chamas e ainda permanecia no local até a última atualização desta reportagem. Todas as unidades da corporação em Porto Alegre foram chamadas, e também de cidades vizinhas.

Ainda não há informações sobre o que causou o incêndio, mas preliminarmente bombeiros acreditam que começou no quarto andar da construção.

“Naturalmente, as perícias serão feitas no sentido de apurar as causas do incêndio. Nossa equipe de governo trabalha para dar rápido encaminhamento para evitar solução de continuidade às atividades das secretarias de segurança e de administração penitenciária”, afirmou o governador Eduardo Leite em publicação nas redes sociais.

No imóvel, funcionam os setores administrativos da Segurança Pública: Instituto Geral de Perícias (IGP), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Detran, além do serviço de 190 da Brigada Militar, que ficou inativo, mas já foi retomado.

Eduardo Leite, que estava em Brasília a trabalho, retornou para a capital gaúcha nesta manhã.

Pouco antes das 9h, ele foi até o local do incêndio. “Foco total em encontrar os dois servidores desaparecidos”, declarou.

O vice-prefeito de Porto Alegre, Ricardo Gomes, disse que a prefeitura colocou à disposição do governo as equipes municipais.

“Acompanhando o lamentável incêndio na Secretaria de Segurança do RS. Conversei com o Vice-Governador Delegado Ranolfo e coloquei todas as estruturas da Prefeitura à disposição. Estou em contato direto com o Prefeito Sebastião Melo, e estamos coordenando esforços com o Estado”, postou em uma rede social.

Riscos de novos desabamentos

Na manhã desta quinta-feira (15), o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do estado, coronel César Eduardo Bonfanti, afirmou que “há riscos de novos desabamentos”.

A possibilidade será avaliada assim que possível, segundo Bonfanti. O trabalho dos bombeiros segue no combate aos focos de incêndio.

“Nós estamos ainda seguindo no rescaldo. O rescaldo é externo, por isso a dificuldade. Nós não temos como acessar até mesmo porque vários andares desabaram e estão até mesmo impedindo o acesso ao prédio”, afirma.

G1