Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Após a fuga de 12 presos na madrugada do sábado (17), da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, o maior complexo penal do estado, a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) determinou a suspensão temporária das televisitas e visitas presenciais.De acordo com a pasta, a medida é necessária para a realização de revistas estruturais e pessoais em todas as celas da unidade e avaliação dos procedimentos de segurança.

De acordo com a Seap, os fugitivos são todos da cela 9 da ala A do Pavilhão 4. Ao todo, a cela tinha 22 detentos – 10 deles não fugiram.

Esse é o primeiro registro de fuga na unidade prisional em três anos. A última havia sido em fevereiro de 2018, quando Francisco Carlos dos Santos, de 34 anos, que era considerado um preso de “confiança”, escapou.

Buscas pelos foragidos

Na tarde do sábado, viaturas da Polícia Penal estiveram no KM-6 e no Bom Pastor após receber denúncias do paradeiro de alguns fugitivos.

Além de Natal e Região Metropolitana, os comboios também procuraram pelos detentos nos arredores do presídio e na Comunidade de Alcaçuz, em Nísia Floresta. Existia a suspeita de que eles ainda pudessem estar escondidos na mata.

As buscas se estenderam até a noite, mas ninguém foi preso.

Segurança na unidade

De acordo com a Seap, o Complexo do Alcaçuz teve a segurança reforçada nos últimos meses com efetivo extra viabilizado através do pagamento de diárias operacionais aos policiais penais que atuam dentro dos pavilhões e nas guaritas. O custo desse reforço teria sido de R$ 470 mil mensais e incluía, além de policiais de plantão, unidades especializadas do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Grupo Penitenciário de Operações com Cães (GPOC). Com informações do G1;RN.