Foto: Getty Images

Um estudo feito pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca aponta que a vacina de Oxford funciona contra a variante do coronavírus originada em Manaus, capital do Amazonas.
“Os resultados preliminares são bem adequados para P1. Indicativo que não necessita (de adaptação)”, disse ao Estadão um pesquisador brasileiro envolvido no estudo.

A pesquisa foi feita após envio de amostras pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que tem um acordo com Oxford/AstraZeneca e já começou a produzir a vacina. Existe até a previsão de que neste mês de março sejam entregues 3,8 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunização (PNI). De acordo com a Fiocruz, a estimativa é produzir pelo menos 200 milhões de doses em 2021.

Segundo a AstraZeneca, estão sendo realizados estudos “para avaliar a resposta imune da vacina contra a variante P.1. Os dados serão publicados tão logo estejam disponíveis”.

“Acredito que até a semana que vem possamos ter a divulgação pública dos resultados”, afirmou a coordenadora dos centros de pesquisa da vacina de Oxford no Brasil, Sue Ann Costa Clemens. Ela disse que o artigo com os resultados já foi finalizado e está em processo de submissão para uma revista científica.

Olha Digital