Foto: AFP/Arquivo

Apesar da pandemia aniquilar o poder de compra de boa parte dos trabalhadores em todo o planeta, as fortunas das pessoas mais ricas do mundo somaram mais de US$ 1,8 trilhão em lucros, segundo o índice de Bilionários da Bloomberg. Ao todo, isso representa uma alta de 31% na comparação com 2019 e a maior registrada no índice.Juntos, os mais ricos do mundo somam uma fortuna de US$ 7,6 trilhões e boa parte desse aumento conjunto nas contas bancárias se explica pela alta nas bolsas mundiais, que tiveram um ano de oscilação, porém alguns setores se beneficiaram diretamente com a pandemia. Os donos e principais acionistas dessas companhias foram diretamente beneficiados pelo movimento.

É o caso de Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX, que ganhou o posto de segundo homem mais rico do mundo ao longo do ano. Sua fortuna pessoal é de US$ 167,2 bilhões, amplificada pelo salto de US$ 140 bilhões no valor de mercado da montadora mais valiosa do mundo.

Número 1 entre os bilionários, Jeff Bezos, CEO da Amazon, viu sua fortuna crescer para US$ 77 bilhões no ano passado e agora acumula mais de US$ 191,8 bilhões em seu domínio.

Alternando em alguma posição do top 3, o fundador da Microsoft, Bill Gates, conta com uma fortuna de US$ 132 bilhões e acumulou mais de US$ 18,6 bilhões somente em 2020.

Você pode ver a lista com os mais ricos do mundo clicando aqui.

IstoÉ