Imagem: reprodução

A Globo foi condenada a pagar R$ 30 mil de indenização por danos morais e mais um salário de R$ 1,9 mil para a manicure Vânia Ibraim de Oliveira. Ela colocou a emissora na Justiça, alegando não ter recebido a premiação prometida no programa do qual participou em dezembro de 2012. A empresa não pode mais recorrer da decisão.Vânia participou do quadro Mandando Bem e chamou atenção de Luciano Huck com sua empresa de manicure express. Ela saiu dos estúdios com a promessa de que receber uma moto reformada, duas novas, dois laptops, um trailer itinerante, onde iria atender os clientes, além de R$ 30 mil, de capital de giro.


A profissional também receberia apoio técnico, incluindo aulas de empreendedorismo, elaboração de um site para a empresa, e construção da identidade visual da marca. Durante os estudos, a emissora ainda assegurou o pagamento de um salário a ela.

Contudo, de acordo com a defesa de Vânia, o que parecia um sonho acabou virando uma grande dor de cabeça. A manicure não recebeu todos os prêmios, além de ter tido problemas para regularizar a situação da empresa e dos veículos.

O trailer para o atendimento dos clientes também não pode ser utilizado, pois precisava de alvarás e autorizações necessários para a circulação.


Os advogados de Vânia chegaram a pedir uma indenização de R$ 200 mil e um salário de R$ 5,3 mil pelo tempo em que ela ficou à disposição do quadro. A Justiça, porém, determinou que a emissora deveria pagar R$ 30 mil de indenização e R$ 1,9 mil pelo salário prometido.

Na decisão, o desembargador responsável pelo caso, justificou a decisão afirmando que “compulsando os autos e analisando-se, em especial as correspondências trocadas entre os envolvidos, verifica-se que a recorrente [Vânia] passou da felicidade e euforia para uma sensação de angústia, tristeza e revolta por não ter conseguido usufruir de todas as promessas que lhe teriam sido feitas”.

Metrópoles