Foto: Adriano Machado/ REUTERS

O ministro da Economia Paulo Guedes comentou a respeito da criação de 394.989 vagas com carteira assinada em outubro, divulgado nesta quinta-feira (26), pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).Para o ministro, a notícia é “extraordinária”. “Nunca o Brasil criou tantos empregos. Parabéns às empresas, aos trabalhadores e vamos em frente. Continuar protegendo a saúde e fazendo o retorno seguro ao trabalho”, afirmou.

Segundo Guedes, o resultado mostra a retomada da economia brasileira em V, como gosta de dizer o ministro, em um ritmo acelerado. “Esse mês de outubro foi o mês em que geramos mais empregos na série histórica do Caged. Desde 1992, o Brasil não criava tantos empregos em um mês. Tivemos quase 400 mil empregos”, ressaltou.

Bruno Bianco, secretário especial de Previdência e Trabalho, disse que o governo fez a lição de casa no pré-pandemia, ao aprovar “em conjunto com o Congresso nacional e sob a orientação do presidente e nosso ministro, reformas fundamentais para o Brasil”.

“Nós fizemos uma reforma da previdência histórica, que acabou com privilégios e fez a maior reforma da história do Brasil, se não do mundo. Uma economia de quase R$ 1,2 trilhão com as quatro medidas que aprovamos. Tudo isso nos deu fôlego e nos propiciou passar por essa pandemia de uma maneira melhor”, afirmou Bianco.

A pandemia do novo coronavírus também foi citada por Guedes, como 2020 sendo um ano que afetou “tragicamente as família brasileiras, derrubou os empregos, atingiu familiarmente e pessoalmente todos nós”. No entanto, o ministro reitera a “resiliência” do governo ao saber fazer o distanciamento social, ao mesmo tempo que não deixou a economia de lado.

“Nessa recessão, que nos jogou no fundo do poço, nós não perdemos o rumo. Soubemos manter a economia girando para proteger os nossos empregos e as nossas empresas e estamos gerando emprego em alta velocidade. Podemos terminar o ano tendo perdido zero empregos no mercado formal. Zero”, exaltou Guedes.

“Se terminamos o ano, como é bastante possível, com zero perda de empregos no mercado formal, terá sido um ano histórico”, completou.

R7