Um dos grandes problemas dos produtores de alimentos artesanais do Rio Grande do Norte, como queijos, manteiga, doces e outros, é a grande concorrência de produtos de outros estados e a impossibilidade de expandir os negócios pelo país devido a falta da certificação federal. Durante a visita de Jair Bolsonaro a Mossoró, os produtores locais conseguiram o apoio do presidente e da ministra Tereza Cristina (Agricultura) para garantir a expansão da produção local para todo o país e ampliação da competitividade.Durante a visita ao Estado, tanto Bolsonaro quanto Tereza se mostraram solidários e receptivos à pauta e já adiantaram que representantes do Governo Federal irão receber os produtores para estudar os próximos passos para certificar a produção potiguar dentro do Selo Arte. De acordo com representantes do grupo de produtores, o Selo vai permitir que vários dos produtos potiguares possam ser vendidos livremente em qualquer parte do território nacional, sem entraves burocráticos.

Para os consumidores, será uma garantia de qualidade, com a segurança de que a produção é artesanal e respeita as boas práticas agropecuárias e sanitárias.

Os produtores adiantaram que o leite produzido no RN já é um dos mais baratos do Brasil o que vai permitir que o produto potiguar tenha um preço competitivo e com qualidade e certificação, permitindo a expansão da produção de queijos, manteiga doces e outros, gerando mais emprego e renda.

Estiveram presentes no encontro com o presidente Bolsonaro os representantes Betânia Faria, produtora rural e parceira da Queijaria Dona Gertrudes; Rafael Gurgel e Bruno Henrique, defensores das pautas envolvendo a categoria; e deputado federal General Girão.

BG