Image: Darwin Laganzon/Pixabay

Um homem condenado a 14 anos de prisão pelos crimes de estupro e roubo foi absolvido após um exame de DNA apontar que o acusado não havia cometido o crime, segundo a Defensoria Pública do Estado do Paraná (DPE-PR).O crime aconteceu em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, em outubro de 2016. O homem está preso desde então.


O Tribunal de Justiça do Estado do Paraná (TJ-PR) resolveu absolver o homem, que tem 28 anos, após um pedido feito pela DPE-PR. A decisão foi publicada no dia 13 de agosto.


Segundo a Defensoria Pública, o homem foi condenado após ser reconhecido pela vítima como autor do crime. Apesar disso, a DPE-PR afirmou que as características do jovem não batiam com as informações prestadas pela vítima.


Ainda segundo o DPE-PR, o homem foi preso uma hora após o crime. Os objetos que haviam sido roubados não foram encontrados com o rapaz que foi detido.


Para reverter a condenação, a Defensoria Pública solicitou a comparação do material genético colhido após o crime com o do homem que havia sido condenado.


O resultado do exame apontou que o material que estava armazenado no Instituto Médico-Legal (IML) era incompatível com o do rapaz que estava preso.


A defensora pública Ana Paula Gamero Salem acredita que o acusado pode ter sido vítima de preconceito, já que possuía condenações por outro tipo de delito.

“A gente não sabe quais informações que foram repassadas para essa vítima, mas no momento do reconhecimento pessoal, apenas foi colocado ele em frente à vítima, sem qualquer outra pessoa. A vítima, que estava com o estado emocional afetado, acabou o reconhecendo somo sendo o seu agressor “, afirmou.


O rapaz continua preso. O DPE-PR informou que solicitou à Justiça que o homem seja transferido para o regime semiaberto.

G1-PR