Foto: Arnd Wiegmann/Reuters

O primeiro caso oficial da Covid-19 no Brasil seria de uma bebê hoje tem um ano e um mês de idade. O exame PCR, usado para detecção do vírus causador da doença, confirmou a presença do novo coronavírus no dia 20 de fevereiro de 2020, segundo a base de dados Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe) do Ministério da Saúde.Dessa forma, ela se tornou a primeira paciente infectada do Brasil. A descoberta foi feita pelo médico Ricardo Parolin Schnekenberg, que atualmente pesquisa a Covid-19 pelo grupo do Imperial College, a instituição que orienta a política pública sobre a pandemia no Reino Unido. A informação foi confirmada pelo Núcleo de Jornalismo de Dados e Investigativo da CNN. Além desse, mais um caso de Covid-19 foi notificado antes do primeiro caso do dia 26 de fevereiro, de um senhor de 61 anos, que até hoje era o primeiro caso oficial do Brasil.

O pesquisador, que mora na cidade de Oxford, explica que descobriu o caso, nesta quarta-feira (15), durante o processo de escrever um artigo científico sobre a evolução da Covid-19 no Brasil.

“Eu tive que olhar qual a data dos primeiros casos confirmados na plataforma de SRAGs. Então fiquei surpreso quando notei que o primeiro caso ali representado era um bebê de 9 meses, muito diferente dos casos que ganharam a mídia brasileira na última semana de fevereiro”, disse Ricardo em entrevista à CNN.

Segundo o Sivep-Gripe, a criança foi internada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) no dia 19 de fevereiro. No dia seguinte, coletou PCR de swab nasal que foi analisado para um painel de múltiplos vírus. Ainda de acordo com a plataforma, a amostra foi negativa para influenza, positiva para rinovírus e também positiva para a Covid-19. A data de resultado do exame do novo coronavírus consta no sistema como no mesmo dia da coleta, dia 20 de fevereiro. A paciente sobreviveu e recebeu alta dois dias depois, mas o caso só foi encerrado no Sivep, no dia 11 de junho.

Além desta bebê, um menino de um ano e dois meses, da cidade de Itabuna, na Bahia, também teve o diagnóstico da doença confirmado. A notificação dele é do dia 24 de fevereiro, dois dias antes do até então primeiro caso oficial e quatro dias após o a confirmação da bebê de nove meses.

Sobre o perfil de contaminação da paciente, o pesquisador indaga sobre a necessidade do caso ser investigado e se provar verdadeiro. “É interessante que não se falou mais sobre isso até agora. Sendo uma bebê de 9 meses, gostaria de entender como é que essa criança se contaminou. Se os familiares testaram positivo ou foram investigados, mesmo restrospectivamente. Se tiveram histórico de viagem ao exterior. Reconstruir o histórico de contatos que levou a essa contaminação em uma época quando os casos ainda eram extremamente raros”. explica.

O novo primeiro caso oficial antecipa o início da pandemia no Brasil em seis dias e traz mais perguntas para o pesquisadores e para o poder público. “E se o caso foi diagnosticado como COVID em análise retrospectiva das amostras daquela época, quais outras amostras testaram positivo que não foram divulgadas? E como isso altera a linha do tempo que conhecemos da chegada do COVID no Brasil? Como esse caso parece ter sido positivo para dois vírus respiratórios, um deles o SARS-CoV-2, imagino que tenha sido uma análise retrospectiva de amostras daquela época, e que provavelmente a família dessa paciente não tenha nem conhecimento do diagnóstico, e provavelmente nem a família nem a equipe médica tenha feito isolamento ou tomado as devidas precauções.”, conclui Ricardo.

Em nota conjunta, a Secretaria de Saúde de São Paulo e o Hospital das Clínicas informaram que “a bebê, nascida em 27/5/2019, realizou um Painel Viral em 20/2/2020, exame que coleta PCR para diferentes tipos de vírus, entre elas, quatro variantes de coronavírus humano – 229E (Cor229), HKU1 (HKU), NL63 (Cor63) e OC43 (Cor43). Não houve nesta data, portanto, coleta para Sars-Cov-2. Também não houve retestagem para este vírus e nem reexame do material colhido por parte do HC. O HCFMUSP vai apurar se houve algum erro de registro no sistema, que tenha partido do próprio hospital ou de outro centro”.

Procurados pela reportagem, o Ministério da Saúde informou que vai consultar a área técnica da pasta e pediu até esta quinta-feira (16) para resposta. A pasta afirma que, até o momento, trabalha com a data de 26 de fevereiro como o primeiro caso oficial da Covid-19.

CNN Brasil