A atriz e modelo Flavia Tamayo foi presa quando chegava a um hotel em Vitória, no Espírito Santo Foto: Reprodução do Facebook

A atriz, dançarina e modelo Flavia Tamayo — presa nesta terça-feira, dia 21, por envolvimento numa rede de prostituição e tráfico de drogas em Brasília — chegou a resistir à abordagem dos policiais e tentou tirar a roupa, segundo o delegado Rafael da Rocha Corrêa, da 1ª Delegacia Regional de Vitória, no Espírito Santo. Flavia foi presa quando chegava num hotel na orla da cidade.Nas redes sociais, Flavia, de 22 anos, se apresenta também como Miss Bumbum e capa das revistas Sexy e Playboy (nesta última, foi capa da edição em Portugal). Mas, de acordo com investigações da Polícia Civil de Brasília, há pelo menos dois anos a jovem também se prostituía e vendia drogas para clientes de alto poder aquisitivo, num flat no Setor Hoteleiro Norte da capital federal. Flávia também estrelou filmes pornográficos, onde ganhou o apelido de Pâmela Pantera, e participou de ensaios fotográficos para publicações masculinas no Brasil e no exterior.
— O inquérito identificou a atuação de seis grupos criminosos especializados no tráfico de drogas, sendo dois deles formados por prostitutas de luxo, entre elas a Flavia, que negociavam programas sexuais, com o consumo de drogas, para uma clientela vip. No caso dela, cada programa regado a cocaína e haxixe saía por mil reais, o dobro do valor pago por um programa sem drogas — afirmou o delegado Ricardo Oliveira, da 5ª Delegacia de Polícia (Área Central) do Distrito Federal.

A Operação Rede, que visava desmantelar a quadrilha, foi deflagrada no mês passado. Na ocasião, foram cumpridos 38 mandados de prisão e 18 pessoas foram presas em flagrante, entre elas duas garotas de programa. Flávia iria responder ao inquérito em liberdade, mas com a suspeita de que ela fugiria do país nos próximos dias, a prisão foi deferida pelo Vara de Entorpecentes do Distrito Federal.

— Por causa de sua agenda de trabalho extremamente movimentada, tivemos dificuldade de capturá-la, pois ela rodava o país. Antes de Vitória, esteve em São Paulo e em Florianópolis — contou o delegado.

Extra online