Foto: Reprodução/Twitter.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julga no próximo dia 22 uma ação que pode deixar o ex-presidente Jair Bolsonaro inelegível. Caso ele não esteja apto para voltar a concorrer ao Palácio do Planalto em 2026, a ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro seria a alternativa mais óbvia para dar continuidade ao bolsonarismo na avaliação dos eleitores de Bolsonaro, indica a pesquisa Para onde vai a direita. Mas, quando se fala em disputar a presidência da República, outro nome se destaca.

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), é menos conhecido que Michelle, mas desponta como o mais indicado para assumir o Palácio do Planalto entre esses eleitores. A pesquisa endossa outro levantamento, do Instituto Paraná, que também apontou Tarcísio e Michelle como os dois favoritos para suceder Bolsonaro.

O estudo promovido pelo Instituto Locomotiva e da Ideia Instituto de Pesquisa, e publicado pelo jornal Valor, considerou o universo dos 58 milhões de eleitores de Bolsonaro em 2022. Realizada pelo Zeitgeist Public Affairs, a pesquisa ouviu 1.531 eleitores em todo o país, por telefone, entre os dias 30 e 31 de maio. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais.

O Antagonista.