PIX — o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central do Brasil receberá duas novas medidas de segurança para combater possíveis fraudes, de acordo com o anúncio realizado pela autarquia. A partir de 5 de novembro de 2023, quando o PIX se aproxima do seu terceiro ano em atividade, as mudanças entrarão em vigor.

A primeira medida consiste em uma notificação de infração que alerta quando uma determinada chave foi utilizada de forma suspeita. Já a segunda medida tem como objetivo aprimorar a consulta de informações vinculadas às chaves Pix para fins de segurança.

Com essas novas ferramentas, o Banco Central espera aprimorar a segurança do Pix e garantir uma experiência mais confiável aos usuários. No entanto, a implementação desses recursos dependerá de uma evolução técnica na tecnologia do sistema de pagamentos instantâneos, reitera o órgão.

Uma das funções é um selo que indica quando há suspeita de fraude nas transações. As empresas que oferecem o serviço vão marcar a chave dos clientes quando houver suspeitas de golpes, estelionato, invasão de conta, ou outras coisas parecidas. Por exemplo, se alguém tentar abrir uma conta no Pix usando o nome de outra pessoa, essa conta poderá receber uma marcação.

O outro mecanismo envolve consulta das informações de segurança armazenadas no sistema do Pix. O Banco Central reformulou as informações disponibilizadas às empresas para ajudar a prevenir fraudes. Isso inclui informações sobre a quantidade de fraudes do tipo “conta laranja” ou falsidade ideológica, a quantidade de notificações de infração recebidas, a quantidade de contas vinculadas a um usuário, entre outras.

Conexão Política