Foto: Cedida
Cerca de 100 detentos do regime semiaberto no Rio Grande do Norte estão em liberdade sem tornozeleiras eletrônicas para monitoramento, devido à escassez desses dispositivos fornecidos por uma empresa contratada.A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) confirmou a falta de equipamentos e informou que sanções foram aplicadas à empresa por não cumprimento do contrato.

A Seap aumentou a fiscalização presencial nos horários de confinamento domiciliar dos presos como medida de resposta à situação.

Atualmente, o Estado deve R$ 1,3 milhão à empresa fornecedora das tornozeleiras eletrônicas, referente aos meses de fevereiro e março deste ano.

Blog Ismael Sousa