Após a criação do maior bloco parlamentar da Câmara dos Deputados enquanto Lula estava no avião a caminho da China, o governo virou minoria do Legislativo, caso quase inédito na História. O maior bloco (PP, União, PSDB, PSB, PDT etc.) tem 173 integrantes liderados pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), que sobretudo agora vai reinar absoluto. O segundo maior bloco (MDB, PSD, Rep etc.) tem 142 e o bloco do governo não chega a igualar os 99 do PL de Jair Bolsonaro.

O Novo, que também é oposição ao governo Lula, tem três deputados. A bancada da “minoria” tem 102 deputados, contra 95 da “maioria” lulista.

O PL de Jair Bolsonaro acabou se transformando no fiel da balança na Câmara. Será crucial para ‘desempatar’ quase todas as votações.

Partidos como PSB do vice Geraldo Alckmin e o PDT estão mais alinhados ao governo, mas têm rachado em votações importantes.

A criação dos blocos atende à atual realidade interna da Câmara, não significa obrigatoriedade de votos, que quase nunca serão unificados.

Diário do Poder