Foto: Sérgio Lima/Poder360

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) reclamou da duração do ato de relançamento do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) em Pernambuco e deu uma bronca nos militantes petistas por vaiarem alguns dos presentes nesta quarta-feira (22.mar.2023).Os alvos de vaias foram o prefeito do Recife, João Campos (PSB) e, principalmente, a governadora do Estado, Raquel Lyra (PSDB).

Confira abaixo:



“Acho que quando vocês estavam vaiando a governadora, vocês estavam me vaiando. Porque ela não está aqui porque ela quer estar aqui. Ela está aqui porque ela foi convidada”, declarou Lula.

“Poderiam ter vaiado o Bolsonaro durante os 4 anos que ele esteve na Presidência da República. Seria tão mais fácil, seria tão mais bonito”, disse o presidente.

Lula mencionou a necessidade de os militantes compreenderem como conviver com os adversários. “O que a gente não pode é aprender a conviver como inimigos”, declarou.

“A governadora pode ser nossa adversária política, mas ela é governadora do Estado, ela foi eleita e eu vou respeitar ela como governadora do Estado”, completou.

O presidente disse que irá a Pernambuco sempre que necessário e conversará com Raquel, João Campos e outros prefeitos.

Segundo Lula, foram feitos anúncios importantes no ato, mas tudo “era pequeno diante da necessidade de vaiar a governadora”.

“Que pena. Não pode ser assim”, disse o presidente.

“Podem me vaiar à vontade. Mas por favor, respeitem os meus convidados que vieram aqui”, declarou Lula.

Poder360