O deputado estadual do Rio Grande do Norte Michael Diniz (Solidariedade) voltou a proferir uma fala homofóbica nesta quarta-feira (20). Depois de dizer na Assembleia Legislativa que pessoas do movimento LGBT+ deveriam se submeter a tratamento psiquiátrico, agora o deputado afirmou, em entrevista à 98 FM, que o movimento “não deveria existir” e que o aumento da população LGBT+ contribui para uma “crise social”.Para Diniz, a existência de um movimento LGBT+ “fomenta” a prática homossexual – o que, segundo ele, é prejudicial à sociedade pelo fato de casais homossexuais não conseguirem gerar filhos.

“Você fomentar esse tipo de atitude na sociedade, você vai causar crise econômica, crise demográfica. A prática homossexual. Se aumentar, ela poderá chegar a um ponto de não ter pessoas suficientes na base para manter o mínimo de dinheiro rodando para pagar uma aposentadoria. São problemas sociais que são criados”, declarou o deputado, citando o político Enéas Carneiro (1938-2007).