Foto: Fábio Vieira/Metrópoles

Empresários que têm se reunido com Lula em agendas diversas não têm comprado a narrativa do ex-presidente, de que não haveria razão para preocupação com a política econômica de um eventual novo governo seu. A avaliação é que não há segurança de que viria por aí uma reedição do que foi o Lula do primeiro mandato e que o questionamento é legítimo.

Em entrevista à revista Time, ao ser perguntado sobre qual seria a encarnação atual de Lula em matéria econômica, respondeu o petista:

“Eu sou o único candidato com quem as pessoas não deveriam ter essa preocupação, porque eu já fui presidente duas vezes. E a gente não discute política econômica antes de ganhar as eleições”.

Nos jantares com o empresariado, Lula tem dito o mesmo, e ido além. Em seu raciocínio, como o mercado ganhou muito dinheiro em seus governos, não haveria razão para a dúvida. Disse ainda, numa ocasião, que seria a hora de investidores “darem um pouco” em retribuição ao país.

Metrópoles