Nessa sexta-feira (17), em seu segundo dia de giro pelo Nordeste, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), disse que intercedeu em favor dos sequestradores do empresário Abílio Diniz, sequestrado em 11 de dezembro de 1989.

Segundo o petista, ele procurou o então ministro da Justiça, Renan Calheiros e ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) para libertar sequestradores do ex-dono do Pão de Açúcar. Petista afirmou que tucano pediu o término de uma greve de fome para soltá-los.

“Fui na cadeia dia 31/12 conversar com os meninos”, relatou durante evento em Maceió.

O carro de Abílio foi cercado por guerrilheiros profissionais perto de sua casa. Ele tentou resistir, mas os criminosos estavam em grande número e conseguiram rendê-lo, levando-o para um cativeiro de tortura e isolamento.

No dia 17 de dezembro, após um cerco de 36 horas, os dez sequestradores — quatro chilenos, três argentinos, dois canadenses e um brasileiro — se renderam.

Eles pertenciam ao MIR (Movimento de Esquerda Revolucionária), do Chile. Os bandidos entraram em greve de fome duas vezes enquanto ficaram encarcerados, exigindo que o governo brasileiro extraditasse os nove estrangeiros do grupo para seus países de origem.

Com informações de Metrópoles e Gazeta Brasil