Foto: Reprodução

O caso da contratação, sem licitação, da Casa da Ribeira para elaborar e implantar o projeto do Complexo Cultural Museu da Rampa se transformou em inquérito civil público, instaurado pelo Ministério Publico que apontou várias irregularidades por parte do Governo do Estado e Secretaria Estadual de Turismo.E o caso ameaça se transformar em inquérito policial para apurar a prática de crime de falsidade ideológica. Usaram a assinatura digital e senha de uma servidora pública para emitir o memorando que abre o processo de contratação da Casa da Ribeira. A servidora disse ao MP que nunca assinou o documento, não tinha conhecimento do assunto e sequer tem razões para dizer que a Casa da Ribeira era indicada para tocar o projeto.

E, agora, vem a Procuradoria Geral do Estado, por meio do seu adjunto, José Duarte Santana, dizer que está tudo regular e que o MP deve arquivar o inquérito civil público.
Se o MP fizer isso estará, literalmente, varrendo a sujeira pra debaixo do tapete.

Com a palavra, o Ministério Público.
Fonte: Blog do BG