Foto: reprodução/TV GZH

A ex-deputada Manuela D’Ávila (PC do B) disse que decidiu não disputar um cargo público nas eleições deste ano por causa da “desunião da esquerda” no Rio Grande do Sul e das ameaças contra ela e sua família nos últimos 7 anos.D’Ávila foi vice na chapa de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República em 2018. Também foi derrotada por Sebastião Melo (MDB) no 2º turno da eleição para a prefeitura de Porto Alegre em 2020.

Para as eleições de 2022, ela foi convidada pelo deputado estadual Edegar Pretto para ser candidata a senadora em sua chapa. Mas a ex-deputada anunciou que não se candidataria.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, publicada na sexta-feira (17), D’Ávila afirmou que a 1ª razão era a falta de uma união “razoável no campo progressista” na disputa para o governo do Rio Grande do Sul.

Poder 360 e com informações de Folha de S.Paulo