Imagem: reprodução/YouTube/TV Brasil

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar, nesta terça-feira (7), o Supremo Tribunal Federal (STF) em relação ao julgamento do marco temporal. O chefe do Executivo disse que foi do tempo em que se cumpria decisão da mais alta Corte do país, mas que não é mais.

“Eu fui do tempo que decisão do Supremo Tribunal Federal não se discute, se cumpre (sic). Eu fui desse tempo, não sou mais”, disse após comentar o julgamento, atualmente paralisado. “Certas medidas saltam aos olhos dos leigos. É inacreditável o que fazem. Querem prejudicar a mim e prejudicam o Brasil”, acrescentou.

Os ministros vão julgar se cabe aplicar às demarcações de terras indígenas novas ou em andamento a regra do marco temporal, uma espécie de linha de corte. A medida é defendida pelo governo e por ruralistas e refutada pelos povos originários.


Se os ministros aceitarem a tese do marco temporal, toda a demarcação de terra indígena após a promulgação da Constituição Federal de 1988 deixará de valer. Até o momento, Edson Fachin votou a favor, e Kássio Nunes, indicado por Bolsonaro ao STF, votou contra. Alexandre de Moraes pediu vista.

“Não tem diálogo. Não tem convite para nada. É só pancada o tempo todo”, afirmou Bolsonaro.

R7