Por meio do Programa Alimenta Brasil, o Governo Federal adquiriu alimentos de mais de 43 mil pequenos produtores e doou a produção a mais de 8 mil entidades assistenciais, em apenas 5 meses de projeto. O Programa foi responsável pela doação de 60,5 mil toneladas de alimentos apenas em 2021. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (18) pelo Ministério da Cidadania, que destacou os limites financeiros estabelecidos para 2022.

O Governo Federal, incentivando a Agricultura Familiar, compra os alimentos produzidos por pequenos produtores e os doa para instituições assistenciais.

Neste ano, o teto pago pelo Governo Federal para cada agricultor familiar nas modalidades compra com doação simultânea e compra direta saltou de R$ 6,5 mil e R$ 8 mil para R$ 12 mil por ano. Já o incentivo à produção e ao consumo de leite e a compra institucional passou de R$ 20 mil para R$ 30 mil. Para cooperativas, o limite anual aumentou nas modalidades Apoio à Formação de Estoque, de R$ 1,5 milhão para R$ 2 milhões, e Compra Direta (de R$ 500 mil para R$ 2 milhões). Um aumento de 400%.

“Quando a gente dá a mão para a agricultura familiar, estimula o homem do campo, o consumo local de alimentos e, ao mesmo tempo, ajuda quem tem fome”, exaltou o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, ao enfatizar o papel do programa para as comunidades locais em situação de vulnerabilidade.

Os pequenos produtores englobam agricultores familiares, extrativistas, pescadores artesanais, tendo, inclusive, povos indígenas dentre esses grupos.

É o Governo Federal garantindo comida na mesa do povo, incentivando o pequeno produtor rural e fazendo a economia do campo girar. Um governo que cuida da população e do País!Os agricultores interessados em vender as plantações para o programa devem procurar a prefeitura ou o órgão local de assistência técnica para verificar se o município tem o Termo de Adesão formalizado com o Ministério da Cidadania e quando será feita a seleção dos agricultores.

Com informações do Ministério da Cidadania.