Foto: Dinarte Mariz

Com alta participação de potiguares e turistas, o Carnatal 2021 gerou uma grande preocupação à população norte-rio-grandense. Com um expressivo fluxo de pessoas entre os quatro dias de micareta, realizada entre 9 e 12 de dezembro, foi gerado um debate acerca de um possível aumento de casos de Covid-19. Entretanto, dez dias após a realização do evento, o número de contaminados não aumentou no RN.

De acordo com o boletim epidemiológico diário da Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap), entre os dias 13 e 19 de dezembro, semana consecutiva ao evento, 26 novos casos de Covid-19 foram registrados. Um número abaixo do que os índices na semana do próprio Carnatal apresentavam, quando foi notificado 441 casos entre os dias 6 e 12 de dezembro.

A micareta restringiu o acesso dos foliões ao evento somente apresentando o cartão vacinal completo com as duas doses ou dose única da Janssen. O diretor do Laís, Ricardo Valentim, em entrevista ao NOVO Notícias, na edição pré-carnatal, ressaltou que o evento era seguro para ser realizado.

“Considerando o cenário de 2020 com o cenário atual, a avaliação do Lais é que a realidade de novembro e dezembro de 2021 é mais segura para o planejamento e realização de eventos do que em 2020”, disse Valentim à época.

Taxa de ocupação

A taxa de ocupação de leitos críticos para Covid-19 também não houve um aumento percentual depois do Carnatal. Entre os dias 9 e 12 de dezembro a taxa tinha uma média de 30,38% de ocupação. Agora, dez dias após o início do evento, o percentual de ocupação dos leitos é de 29,3%.

Atualmente, o Rio Grande do Norte possui 111 leitos disponíveis e 46 leitos ocupados por internados com Covid-19. A pandemia já vitimou 7542 potiguares desde março de 2020 até o fechamento desta matéria.

Novo Notícias