Ele negou venda, mas informou à PM do Pará 'que fazia para ajudar pessoas que o procuravam, já que trabalha no Samu'. Na casa dele foram apreendidos carimbos médicos, seringas e receituários.

Um homem foi preso em Belém suspeito de vender cartões falsos de vacinação contra a Covid-19 por R$ 100. Ele disse à polícia que é funcionário do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Seringas, receituários e carimbos médicos foram apreendidos na casa dele.
A prisão divulgada nesta terça-feira (21) ocorreu na segunda (20) no bairro do Coqueiro, em Belém. O homem de 48 anos foi detido e levado para a Delegacia do Consumidor (Dioe) por falsificação de documento público. A Polícia Civil investiga o caso.

"Após procedimentos cabíveis, o homem indiciado pelo crime de falsificação de documento público está à disposição da justiça", informou a Polícia Civil em nota, sem detalhar a formação do preso, se todos os itens apreendidos são falsos e se há mais pessoas sendo investigadas.

A Polícia Militar chegou até o suspeito após denúncias sobre a venda de cartões de vacinação falsos por R$ 100 na área do conjunto Satélites, na capital paraense. No local, ele foi abordado com duas cópias de cartão de vacinação.

"O homem negou vender os documentos, mas disse que fazia para ajudar as pessoas que lhe procuravam, já que ele trabalha no Samu", informou a PM.
A Polícia Militar esteve na casa do suspeito e encontrou "29 carimbos de médicos que atuam em diferentes especialidades, cápsulas de medicamentos, um bloco de receituário em branco, um bloco de declaração de comparecimento, agulhas, seringas e outros materiais relacionados à área da saúde".

Todo o material foi apreendido e encaminhado para a delegacia junto com o homem detido. Até as 12h30, a Secretaria de Saúde de Belém estava verificando se o homem preso é mesmo funcionário do Samu antes de se manifestar sobre o caso.

Fonte: G1
Foto: PM/Reprodução