O menino Henry Borel de Medereiros tinha 4 anos – Foto: Reprodução

A primeira audiência sobre a morte do menino Henry Borel, de 4 anos, acontece na próxima quarta-feira, 6, no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A juíza titular do caso, Elizabeth Machado Louro, titular da 2ª Vara Criminal do Rio, vai começar a ouvir testemunhas de acusação. Ela decidiu ouvir testemunhas de defesa em outra oportunidade.

Monique Medeiros, mãe da criança, e o padrasto, Dr. Jairinho, ex-vereador do Rio de Janeiro, estão presos há cerca de cinco meses, acusados de envolvimento direto na morte do menino. Os dois, inclusive, já viraram réus na Justiça fluminense por homicídio triplamente qualificado, com direito a tortura, sem direito de defesa da vítima e por motivo torpe.

Os advogados de defesa negam que os fatos tenham acontecido conforme denúncia feito pela polícia e pelo Ministério Público do Rio. As instituições, no entanto, não têm dúvidas do envolvimento de Jairinho na morte do menino e da negligência da mãe no episódio.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga /Jovem Pan