Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgou mais um levantamento sobre os valores dos combustíveis no Brasil. Na semana entre 26 de setembro e este sábado (2), Natal aparece como a capital com o maior preço médio do país. O Rio Grande do Norte e Natal acumulam o maior aumento no período de quatro semanas.

De acordo com o levantamento, a gasolina tipo C em Natal tem preço médio de R$ 6,681, com o maior chegando a R$ 6,699 e o menor a R$ 6,640. Goiânia (R$ 6,676), Teresina (R$ 6,660) e Rio de Janeiro (R$ 6,628) são as cidades que completam o ranking das capitais com os maiores preços médios.

As vizinhas Recife e João Pessoa têm preços bem mais acessíveis do que o praticado nos postos da capital potiguar. Enquanto os recifenses pagam, em média, R$ 5,929, os pessoenses têm gasolina custando R$ 5,961, em média. Veja lista completa aqui.

Natal também tem a segunda menor variação no preço da gasolina entre os postos. O desvio padrão da capital potiguar é de 0,020, superior somente ao de Manaus, onde o desvio é de 0,008. O preço da gasolina na capital do Amazonas, contudo, varia entre R$ 5,950 e R$ 5,999, o correspondente a pouco menos que R$ 0,05. Em Natal, a diferença é um pouco inferior a R$ 0,06. Em João Pessoa, há diferença de até R$ 0,16, enquanto em Recife a diferença chega a R$ 0,33. Em São Paulo, a diferença nos postos chega a R$ 1,50 por litro.

De acordo com o levantamento, o Rio Grande do Norte acumula 8,46% de aumento no preço da gasolina no período de um mês. O segundo estado com maior aumento foi o Paraná, com 3,61%. Paraíba e Pernambuco tiveram aumento de 1,58% e 0,77%, respectivamente. Em Natal, o cenário foi ainda pior.

A capital potiguar teve aumento de 11,05% em quatro semanas. O aumento é 276,25 vezes maior do que a média nacional, que ficou em 0,04% no mesmo período. No Nordeste, o aumento acumulado no período é de 0,32%. No período de seis meses, somente o Amazonas teve aumento maior que o do Rio Grande do Norte, com 18,13%, enquanto no estado potiguar o acréscimo foi de 17,33%. Natal teve o segundo maior crescimento no valor em seis meses, com crescimento de 18,52% no preço, percentual inferior somente ao de Goiânia, com 19,53%.

Tribuna do Norte
Blogue Claudio Oliveira: Aumento no combustível: Lamentável e vergonhoso para o nosso estado por ser um grande produtor de petróleo.