247 – Nesta segunda-feira (25), dia em que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afastou um coronel da Polícia Militar por indisciplina após o oficial ter feito convocações para atos em defesa do governo federal e alertou colegas para o risco de infiltração de bolsonaristas nas polícias estaduais, o Poder360 informa que policiais militares se preparam para participar de atos bolsonaristas no próximo 7 de setembro.Circulam em grupos de WhatsApp de PMs de São Paulo e do Rio de Janeiro, dos quais participam oficiais da ativa e reserva, mensagens que falam em “exigir” o poder, lutar contra o comunismo e retirar ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

No grupo denominado “Rota Eterna”, os integrantes combinaram de comparecer ao ato na Avenida Paulista usando as boinas da Polícia Militar. Os policiais dizem que não vão “pegar em armas”, mas falam em se posicionar como “batalhão de vanguarda”.

Jair Bolsonaro é visto pelos oficiais como mártir de uma suposta “guerra ideológica”: “participamos e resolvemos Canudos, após 3 tentativas infrutíferas do governo federal pediram ajuda ao nosso batalhão e quando fomos resolvemos o problema. Participamos de todos movimentos e revoluções do país mas agora a missão é outra, não falo em pegar em armas, mas nos posicionar como Batalhão da vanguarda e no dia 7 de Setembro unirmos forças e mais uma vez, todos nós veteranos mostrarmos nossa força”.

No Rio, policiais organizam uma marcha de Niterói até a praia de Copacabana. No grupo “PMS DO BRASIL ”, os membros falam em “sangue nos olhos e muito amor no coração pela nossa pátria! Deus, Pátria, Família e Liberdade!!! Que os bons se unam!”.  Via: RP