20/06/2021 09h15

Foto: Stanislav Kogiku/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

O estado de emergência pela Covid-19 em Tóquio e outras partes do Japão termina neste domingo (20), a pouco mais de um mês do início da Olimpíada, em 23 de julho.No entanto, algumas medidas serão mantidas, incluindo a limitação do público em grandes eventos, em meio a temores que os Jogos possam desencadear uma alta nos casos da doença.

As restrições mais recentes no Japão, diferentemente de medidas mais rígidas de muitos países, se concentraram principalmente em pedir para que os restaurantes não sirvam álcool e funcionem até as 20h.

A capital do país e outras seis prefeituras entrarão num chamado “quase emergência” até o dia 11. Bares e restaurantes podem passar a servir bebidas alcóolicas até as 19h, mas devem fechar em até uma hora depois. As autoridades locais, porém, podem escolher manter a restrição se acharem necessário.

“O importante é continuar com nossas diretrizes com um espírito de urgência para evitar a disseminação de infecções. Ao mesmo tempo, precisamos manter nossos esforços de vacinação para evitar o colapso do sistema médico”, disse o primeiro-ministro Yoshihide Suga, que também pediu à população que assista aos Jogos pela televisão.

Presença de espectadores nos Jogos Olímpicos

A presidente do comitê de organização dos Jogos, Seiko Hashimoto, disse que as competições acontecerão sob as diretrizes anunciadas pelo premiê e que vão tentar acomodar torcedores, mas que pode haver cancelamentos no último minuto.

A mídia local relatou que o governo, que barrou a entrada de espectadores estrangeiros, estava considerando permitir até 10 mil torcedores nos estádios. As autoridades de saúde, porém, recomendam que as competições aconteçam sem público.

Na última sexta-feira (18), Shigeru Omi, especialista em doenças infecciosas que lidera o comitê de combate ao coronavírus, disse que barrar a entrada de torcedores nos locais seria “desejável” e, junto de outros especialistas, pediu que o número máximo de espectadores seja mais rígido que o proposto pelo governo.

Os especialistas também recomendam que os eventuais torcedores voltem direto para casa após assistirem aos Jogos.

Hidemasa Nakamura, oficial de entregas para Tóquio 2020, recomendou que não haja celebrações com bebidas alcóolicas nas ruas, dizendo “beber ou festejar nas ruas não é somente um incômodo para o público, mas também um evento muito negativo da perspectiva das infecções também”.

Dentro dos locais das competições, Nakamura pede que os espectadores “mantenham distância de todos exceto pelos familiares, e não bebam ou comam em grupo dentro dos locais”.

“Se você estiver comendo, você precisa comer sozinho ou ao menos estar na mesma direção que seus amigos e familiares”, acrescentou.

Ele também disse que a organização está estudando minimizar viagens entre prefeituras para prevenir a transmissão do vírus.

Embora a taxa de infecções no Japão esteja caindo, os funcionários sênior da Tóquio 2020 alertaram para o possível impacto da variante Delta da Covid-19.

Nakamura disse que ela “pode ser um grande fator, potencialmente, num futuro próximo”, acrescentando que os atletas vindos da Índia, onde a mutação foi identificada pela primeira vez, deverão fazer quarentena ao chegar no Japão e ser testados diariamente por uma semana antes de chegar ao país.

Pesquisas mostram que os japoneses continuam receosos com a possibilidade de a Olimpíada causar um repique nos casos, particularmente porque os números na vacinação ainda são mais baixos do que em outros países ricos. O governo espera vacinar todos acima de 65 anos até o final de julho.

CNN Brasil