Os familiares de Lázaro Barbosa ainda não foram ao IML (Instituto Médico Legal) de Goiânia (GO) para retirar o corpo do homem que morreu nesta segunda-feira (28), em Águas Lindas de Goiás (GO), após 20 dias foragido.Segundo informações da Record TV, nenhum parente ou advogado entrou em contato com o instituto para realizar a intermediação do corpo para seu sepultamento.

O motivo seria o medo de retaliação popular com a família do homem, devido à repercussão alcançada no caso de Lázaro.

O prazo para a retirada é de 30 dias, mas pode ser prorrogado. A Record apurou que há uma orientação para toda a família aguardar para realizar a retirada, uma vez considerada a possibilidade de reação dos habitantes locais.

A expectativa é de que a família retire o corpo do IML e o leve para Edilândia, povoado de Cocalzinho, onde o corpo deverá ser sepultado. No entanto, não há previsão de data para a retirada.