Foto: reprodução/Record TV

Pelo menos 90 pessoas são investigadas no Paraná sob suspeita de usar CPFs de mortos para furar a fila de vacinação contra covid-19 no Estado.As suspeitas começaram depois que a Controladoria-Geral da União fez o cruzamento de diferentes bancos de dados e descobriu que os CPFs de pessoas que já morreram apareciam em listas de vacinação em 39 cidades paranaenses.

A Assembleia Legislativa do Paraná montou uma comissão especial para investigação. Todo material será encaminhado ao Ministério Público do Estado. As investigações ainda não descobriu se houve facilitação por parte de agentes públicos.


Os nomes dos CPFs usados não foram divulgados para não atrapalhar as investigações. Os deputados também apuram outras mil denúncias de fura-filas em quase todas as cidades do Paraná. Entre os invesgados, estão 30 políticos que teriam tomado a vacina sem estar em nenhum dos grupos prioritários para a imunização.

Segundo o Tribunal de Contas do Paraná, um prefeito, três ex-prefeitos e 26 vereadores do interior também estão sendo investigados. O tribunal chegou até eles depois de cruzar informações das listas de vacinados com a relação de pessoas que ocupam cargos públicos.


R7