16/05/2021 20h00
Foto: reprodução/CNN Brasil

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha concedeu à CNN sua primeira entrevista à televisão brasileira desde que foi preso em 2016. Nela, criticou a forma como se deu sua prisão e a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas rejeita apoiar o PT.“Já vivi o PT. Não quero o PT de volta. Eu concordo que a prisão do Lula foi um absurdo, assim como a minha também o foi”, afirmou o então presidente da Câmara durante o processo de impeachment de Dilma Rousseff.

Cunha criticou ainda o andamento da CPI da Pandemia por considerá-la um “palanque” e analisou o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a relação do Planalto com o Congresso.

Eleições presidenciais em 2022

“Voto em Bolsonaro. Já vivi o PT. Não quero o PT de volta. Eu concordo que a prisão do Lula foi um absurdo, assim como a minha também o foi. Ele é vítima mesmo. Meu discurso não é contraditório. Ele está num momento de graça por que está como vítima. Qualquer cenário do país? Votaria no Lula como? Votaria no Bolsonaro assim como? Não vai votar em ninguém. O Bolsonaro só ganha a eleição se enfrentar o Lula e o Lula só ganha a eleição se enfrentar o Bolsonaro. Se Bolsonaro enfrentar qualquer outro vai perder, se Lula enfrentar qualquer outro vai perder. Tem anti PT e anti -Bolsonaro. Por isso que os dois vão para os segundo turno. Nesse momento, o antibolsonarismo está maior.”

Eduardo Cunha também analisou o posicionamento do ex-presidente Lula. “Lula está acima do PT. Se Lula, por exemplo, saísse do PT e fosse para o centro ele ganhava essa eleição, sem sombra de dúvida. O que atrapalha Lula é o PT. O problema maior do Lula é o PT. Ele é maior que o antipetismo. O Bolsonaro criou o bolsonarismo, mas é ainda pequeno. Ou sequer talvez dê para ir para o segundo turno. Isso não levara Bolsonaro para 2° turno apenas.”

CPI da Pandemia

“Foi um erro de articulação do governo. Isso realmente é uma falta de articulação. E agora tem que correr atrás de prejuízo. A CPI virou palanque para poder fazer uma Presidência (da República) antecipada. Apresentar pedido de impeachment por qualquer motivo vai para a Câmara. Não vejo como a CPI vai virar o processo eleitoral como acham que possa virar. Só vejo palanque. Renan Calheiros é ativista político de palanque. Tentando dar uma melhorada na sua biografia perante a opinião pública.”


CNN Brasil