A técnica de enfermagem suspeita de não injetar devidamente uma dose de vacina contra a Covid-19 em um idoso em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, é a primeira profissional no Brasil a ser indiciada criminalmente por não aplicar corretamente o imunizante.
Durante depoimento nesta quarta-feira (17) ao delegado Luiz Henrique Pereira, responsável pela investigação, Rozemary Gomes Pita, 42 anos, não soube explicar por que injetou a vacina na seringa, mas não apertou o êmbolo para inserir imunizante no braço da idosa.

A profissional foi flagrada pela família da idosa, no último dia 11, no drive-thru montado dentro do campus de uma universidade. Ela vai responder pelos crimes de infração de medida sanitária e peculato culposo.

Depoimento

Ao delegado, ela contou que foi chamada pela coordenadora de saúde do local de vacinação, e que essa funcionária lhe mostrou o vídeo do momento em que ela simulava aplicar a vacina no idoso.

Ao ser confrontada pelo delegado o que a levou fazer isso, Rozemary disse não saber “explicar a razão de não ter pressionado e êmbolo da seringa, e que nunca ocorreu tal falha”.

Rozemary é técnica de enfermagem há 10 anos e foi contratada pela Fundação Estatal de Saúde, que é vinculada à prefeitura de Niterói. A administração municipal informou que a técnica foi demitida no dia seguinte.

Familiares flagraram o caso

O flagrante foi feito por familiares de um idoso de 90 anos no posto drive-thru que fica na Universidade Federal Fluminense (UFF). O inquérito foi aberto depois que a polícia tomou conhecimento do caso através das redes sociais.

Segundo a polícia, a seringa com a vacina não foi encontrada.

Além da técnica em enfermagem, o delegado Luiz Henrique Marques também ouviu a coordenadora da fundação e o genro do idoso, que filmou a vacinação.

Na declaração à polícia, a testemunha explicou o diálogo com a técnica e disse que, na hora, questionou se ela havia apertado a seringa, mas ela não respondeu e os liberou em seguida.

Nas imagens gravadas, é possível ver que a técnica em enfermagem insere a agulha no braço do idoso, perfurando-o, mas, em momento algum, aciona o êmbolo da seringa.

Em paralelo à investigação policial, o caso está sendo apurado pela prefeitura de Niterói. “Todas as medidas cabíveis serão tomadas. O protocolo determina que o Conselho Profissional de Enfermagem seja notificado. Fizemos isso nesta segunda-feira (15)”, informou a assessoria do governo municipal.

CNN Brasil