Um policial foi xingado durante uma ocorrência no último dia 16 no bairro Vale dos Lagos, em Salvador. Ele foi ao local para socorrer uma senhora de 64 anos que estaria sendo espancada dentro de casa. Lá, se deparou com Libânia Torres agredindo a própria companheira.Durante a ocorrência, o policial foi chamado de “macaco” por Libânia que é filiada ao PT. “Macaco!”, gritou a petista ao ser levada para a viatura.

Em nota publicada três dias depois do ocorrido, o presidente do diretório, Júlio Cézar Lopes, afirmou que o termo não expressa racismo, mas pertence à “cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de macaco”.

“A presidência municipal do Partido dos Trabalhadores – PT de Curaçá vem, de público, manifestar seu apoio a companheira Libânia Torres, por saber da sua caminhada de LUTA e de respeito as pessoas. Em todos os sentidos”, diz a nota.

O advogado do PM, Marinho Soares, afirmou que Júlio Cézar Lopes e outros que eventualmente possam ter participado da redação da nota serão processados. “Isso é lamentável e vai de encontro a toda uma história que o PT prega”, afirmou.



Com informações de O Antagonista