Foto: Michael Dantas/AFP

Procuradores acreditam que a manobra de uma das auxiliares mais próximas do procurador-geral da República, Augusto Aras, para acessar dados sigilosos da Lava-Jato de Curitiba, busca atingir Sergio Moro. Os integrantes do Ministério Público avaliam que a subprocuradora-geral da República Lindora Araújo buscava nos arquivos brechas nas investigações e informações que pudessem servir como munição contra o ex-ministro da Justiça.Hoje, “O GLOBO” revelou que Lindora Araújo realizou uma inspeção “informal” nos trabalhos da Lava-Jato do Paraná. Segundo um ofício da Força-Tarefa enviado à Corregedoria do órgão, o objetivo da vista era acessar informações sigilosas das investigações sem justificativa. Lindora também é a responsável pela negociação do acordo de delação com o advogado Rodrigo Tacla Duran, que mira um amigo de Sergio Moro. A tratativa também foi revelada por “O GLOBO”.

Moro se tornou desafeto do presidente Jair Bolsonaro desde abril, quando o ex-ministro deixou o governo e acusou Bolsonaro de intervir politicamente na Polícia Federal. A PGR abriu um inquérito para apurar os fatos.

Bela Megale – O Globo